Mint liqueur: part one!

(scroll for the English version)

A época das conservas é, sem dúvida o Outono, mas a verdade é que podemos e devemos fazer conservas durante todo o ano. Na primavera, os primeiros rebentos são excelentes desculpas para algumas conservas como licores! Eu apanhei uma grande quantidade de hortelã-de-água num ribeiro que estava completamente coberto dela e resolvi usá-la para fazer licor de menta (misturando com menta que a minha sogra me deu). A menta aquática que podemos encontrar perto do ribeiros é conhecida por se cruzar com a Menta (Menta spicata) para produzir a conhecida hortelã-pimenta que não é mais do que um híbrido entre estas duas espécies. Tem por isso um travo acentuado a hortelã-pimenta e é muito usada para chá.
Nunca fiz licor de menta e gostava de partilhar a minha experiência convosco!

Neste momento a minha mistura de hortelãs está em infusão. Para a infusão usei um litro de aguardente produzida pela Avó Luísa e um ramo generoso da hortelã de água que apanhei e outra porção de menta que trouxe da minha sogra. Separei as folhas, e juntei-as à aguardente juntamente com uma estrela de anis. Agora mantenho a garrafa bem fechada desta infusão de hortelã em aguardente num locar escuro e agito-a diariamente. Assim ficará durante um mês, no mínimo! Eu sei que há por aí uma enorme quantidade de receitas instantâneas de licores mas, nestas coisas, eu acho que o produto final de valoriza muito pelo uso de bons ingredientes (como uma boa hortelã e uma boa aguardente) e pelo tempo de infusão. É no fundo como o Vinho do Porto ou como uma excelente ideia… vai-se construindo com o tempo. Assim, apenas dentro de um mês é que poderei partilhar convosco o restante processo! Têm sugestões, aromas que poderia adicionar para valorizar o sabor à hortelã?

The season of preserves is undoubtedly the Autumn, but the truth is that we can and should do preserves throughout the year. During spring, the first shoots are excellent excuses for some preserves like liqueurs! I picked a lot of water mint in a small stream that was completely covered in it and I decided to use it to make mint liqueur (mixed with some regular mint my mother in law gave me). The aquatic mint that we can find near the streams is very known to cross with Spearmint (Menta spicata) to produce the well-known Peppermint that is, in fact, a hybrid between these two species. It has a sharp taste close to peppermint and is widely used for tea.
I have never made mint liqueur and I would like to share my experience with you!

At this moment my spearmint is infusing. For the infusion I used a liter of “aguardente”, a kind of brandy produced by my grandma Luisa, and a generous bouquet of the water mint I picked and another portion of the regular mint from my mother in law. I separated the leaves and added them to the aguardente with one star anis. I now hold the bottle with this infusion tightly closed in a dark room and shake it daily. That will stay infusing for at least a month! I know there are a lot of instant recipes for liqueurs, but in these type of things, I think the end product takes value from the use of good ingredients (like a good mint and a good alcohol) and the infusion time. It’s like Port Wine or an excellent idea… it is built over time. So, in just one month, I can share the rest of the process with you! Do you have suggestions, scents I could add to enhance the mint flavor?

You may also like

Leave a Reply

Your email address will not be published.