Storm shawl on Halloween

(scroll for the English version)

 

Tenho a certeza que já compraram aquela lindíssima meada de lã tingida à mão (ou mesmo fiada à mão), que encontraram num país diferente, numa feira de tricô que só acontece uma vez em cada milhão de anos, para a qual não têm nenhum projecto pensado, que custa “os olhos da cara” mas que não podem deixar levar porque “é a meada mais bonita que já viram em toda a vossa vida!”

E por isso mesmo ficou depois bem guardada na gaveta, à espera, tempos e tempos, daquele projeto tão especial que teima em não aparecer porque a quantidade de uma meada de lã não é um número assim tão flexível para um projeto que lhe faça juz. Eu sei que muitos de vocês se vão reconhecer: todos nós temos, por vezes, compras deste tipo!

Foi o que me aconteceu com a meada Halloween da CookstonCrafts em Aberdeen. As cores eram subtis, a lã era macia, e iria para sempre lembrar-me um país onde prometi regressar. Não sabia como, mas havia de transformá-la numa peça especial.

Há uns meses atrás dei-me de caras a usar uma parte muito especial do meu stash te lã, de tecidos, de materiais e, a meada de Halloween da CookstonCrafts foi uma das que me saltou para as mãos. Eu tinha de arranjar um projeto lindo para usar pelo menos a maior parte daquela meada e não me apetecia fazer nem meias nem luvas! Ainda por cima armei-me em esquisita! Se os meus critérios todos se traduzissem efectivamente em filtros de pesquisa, creio que a internet me mandava dar uma volta… Felizmente, ao que parece, eu não sou a única que tem estes impulsos e, no meio de tantas exigências consegui encontrar o projeto perfeito para a minha meada de lã! O xaile Storm é da designer Joji Locatelli e é o projeto perfeito para uma meada de lã filha única. Não me aborreçam com “outro xaile?” porque eu vou fazer xailes as vezes que me apetecer: além de os achar peças muito femininas, são extremamente práticos (podem ser usados com xaile, como cachecol, etc), dão carácter a um guarda-roupa e fazem lembrar as mães e avós que nos vinham consolar a meio da noite ao despertar de um pesadelo. Os xailes são extremamente românticos e contam histórias!

Este xaile é leve, deliberadamente feito com agulhas grandes para o recomendado e com pontos abertos que permitem criar alguma transparência, algum interesse visual e aquele carácter romântico. Acho que ficou uma combinação cinco estrelas com a minha meada da CookstonCrafts!
Depois de o bloquear ele ficou com 180cm de comprimento e cerca de 60cm de largura, o tamanho ideal para mim!

 

I’m sure you also already bought that beautiful skein of hand-dyed (or even hand-spun) yarn, that you found in a different country, at a knitting fair that only happens once in a million years, for which you have no project yet although it cost you the earth, but that you can not let go because “it is the most beautiful skein you have ever seen in your entire life!”

And for that very reason it was well kept in the drawer, waiting, times and times, for that very, very special project that never comes because the quantity of a single skein of wool is not such a flexible number for for you to be able to choose a thing. I know that many of you will recognize: we all have made that kind of purchases!

That’s what happened to me with a skein of Halloween by from CookstonCrafts in Aberdeen. The colors were subtle, the wool was soft, and it would forever remind me of a country where I promised to return. I didn’t know how, but I would make it into a special piece!

A few months ago I started using a very special part of my wool stash, my fabrics stash, and other special materials. The only skein I had of Halloween by CookstonCrafts as one of the ones that jumped into my hands. I had to come up with a beautiful project to use, at least, most of that skein and I didn’t feel like making socks or gloves! Yeah, on top of that, I was picky, right?! If my criteria were all effectively translated into search filters, I believe that the internet would told me to get lost! Fortunately, it seems, I am not the only one who has these impulses and, in the midst of so many demands, I managed to find the perfect pattern for my beautiful skein! The shawl Storm is from the designer Joji Locatelli and is the perfect design for an “only child” skein of wool. Don’t bother me with that “another shawl?” because I will make shawls as often as I feel like: besides finding them very feminine pieces, they are extremely practical (they can be used as shawls, as a scarf, etc.), they give character to a wardrobe and reminds us of our mothers and grandmothers who came to rescue us in the middle of the night when we woke up from a nightmare! Shawls are extremely romantic and tell stories!

This shawl is light, deliberately made with large needles and with that open stitches that allow to create some transparency, some visual interest and that romantic character. I think it was a five star combination with my skein by CookstonCrafts. After blocking it it is 180 cm long and about 60 cm wide, the ideal size for me!

Continue Reading

Tied Knots using Malabrigo Rios

(scroll for the English version)

 

A primavera chegou mas, o tempo extra em casa dá vontade de usar todo o stash para tricotar!
Desta vez usei uma meada de Malabrigo Rios (Arco Íris, mesmo a calhar!) para tricotar um gorro no modelo Tied Knots de uma das minhas Designers favoritas, a Justyna Lorkowska.
Neste período em que ficar em casa é a regra fomos todos apanhados de surpresa pelo que foi muito bom saber que tinha um stash the fio para usar enquanto as coisas não se endireitassem.
A qualidade da lã Malabrigo é já conhecida de todos, as cores são intensas e memoráveis! O modelo é belíssimo, sem erros e muito fiel! O resultado foi um gorro colorido mas sóbrio que vai alegrar os últimos dias frios e receber-me com um sorriso quando o frio voltar.

 

Spring has arrived but I am using my extra time to knit anyway! So I’ve been working some wool!
This time I used a skein of Malabrigo Rios (Arco Íris, just perfect!) to knit a hat using Tied Knots pattern by one of my favorite designers, Justyna Lorkowska.
In this period when staying at home is the rule, we were all taken by surprise! So it was great to know that I had a stash of yarn to use until things got normal again.
The quality of Malabrigo wool is already known to everyone, unbeatable! The colors are intense and memorable, the pattern is just beautiful, no errors and very faithful! The result was a colorful but sober hat that will brighten up these last chilly days and welcome me with a smile when the cold returns next fall.
Continue Reading

Zé, the rat that lives in a tin.

(scroll for the English version)

 

“Zé” foi o nome mais pequeno que encontrei para este ratinho que vive numa pequena lata. O Zé é um viajante à boleia que toma conta do pai da menina Dalila sempre que ele viaja. Estar longe nem sempre é fácil e as saudades apertam! O Zé foi incumbido pela Dalila de tomar conta do pai e dar-lhe todos os miminhos que ela não pode dar-lhe enquanto trabalha longe de casa. Assegura-se também de que nunca está sozinho, de que toma o seu copo de leite diário, come os vegetais e que escova os dentes antes de deitar. Em compensação o Zé nunca sabe onde vai acordar no dia seguinte! Pode ser em na Ópera de Paris, num jardim do Japão ou em casa, onde conta as suas aventuras à pequena Dalila com tanto pormenores que é difícil perceber como cabem num ratinho tão pequeno! Mas porque o trabalho é árduo, o Zé veio acompanhado de uma casa portátil para que possa descansar tranquilo sempre que quiser!

“Zé” was the smallest name I was able to find for this little mouse that lives in a small tin. Zé is a hitchhiking traveler who takes care of Dalila’s father while he travels to work. Being away is not always easy and they miss each other a lot! Zé was tasked by Dalila to take care of her father and give him all the treats she can’t give him while working away from home. He also makes sure he is never alone, that he drinks his daily glass of milk, eats vegetables and that he brushes his teeth before bedtime. On the other hand, Zé never knows where he will wake up the next day! It can be at the Paris Opera, in a garden in Japan or at home, where he tells his adventures to little Dalila in such detail that it is difficult to understand how they fit in such a small mouse! But because his work is hard, Zé came with a portable home so he could safely rest whenever he wants!
Continue Reading

Socks finished: Hermione’s Everyday Socks

(scroll for the English version)

Acho que nunca mais vos dei novidades das minhas primeiras meias feitas à mão!

É um projeto que já tem algum tempo e que fui fazendo, aqui e além, usando o fio um novelo da lã Mondim da Rosa Pomar e o modelo Hermione’s Everyday Socks da Erica Lueder.
Tenho de confessar. Deixei uma meia feita e a outra por fazer durante algum tempo! Por incrível que pareça, a primeira meia deu-me algumas dores de cabeça que, para variar, eu tomava em resolver sozinha. Grande erro, qualquer pessoa precisa de ajuda! Mas muitas vezes é importante dar uma pausa aos projetos para a cabeça aprender (eu acredito que o nosso cérebro continua a assimilar muito depois dos assuntos terem passado pelas nossas mãos). E assim foi: mal peguei na segunda meia, despachei-a em poucos dias. Atenção: eu sou uma tricotadeira lenta, assim como sou uma leitora lenta, embora ávida. Sobretudo porque gosto muito do processo, de degustar, como quem vai comendo um chocolate um quadradinho de cada vez! Por isso os meus projetos de tricô são saboreados.
Aproveitei os últimos dias para rematar, esticá-las e fotografá-las para vocês. Hoje venho mostrar-vos o resultado final!

A minha opinião sobre fazer meias é a seguinte. Na prática não, talvez não compense fazer meias. Também não compensa ter uma casa cheia de tralha e, no entanto,… Por isso o veredicto final é o seguinte. Como todas as minhas peças feitas à mão, eu acabo por me sentir muito especial quando as uso. E nunca me senti tão bem com um par de meias! Por isso sim, considero que compensa de vez em quando fazer um ou outro par com o objectivo de ser um par especial. Não muito longe da sua história, estas meias reforçam a minha imaginação e confiança, precisamente o que caracteriza a Hermione que lhes dá o nome. A ter de escolher, esse seria sempre o par de meias que calçaria nos pés.

I don’t think I ever gave you any news of my first handmade socks!

It is a project that has been going on for some time and that I have been doing, here and there, using the a ball of Mondim wool from Rosa Pomar and the Hermione’s Everyday Socks pattern by Erica Lueder.
I have to confess. I left one sock done and the other undone for a while! Incredible as it may seem, the first sock gave me some headaches that, for a change, I took to solve by myself. Huge mistake! Everyone needs some help. But it is often important to take a break from projects sometimes, in order to let our brain to learn (I believe our brain continues to assimilate long after the things actually passed). And so it was: as soon as I picked up the second sock, I done it in a few days. Warning: I am a slow knitter, just as I am a slow (despite avid) reader. Especially because I really like the process, tasting it, like someone eating a chocolate one square at a time! That’s why my knitting projects are savored.
I used the last few days to shoot, do stretch and photograph them for you. Today I show you the result!

My opinion about making socks is as follows. If I am being practical, it may not be worth making socks. But you know, It also doesn’t worth to have a house full of junk, and yet… So the final verdict is that I like all my handmade pieces, I end up feeling very special when I use them. And I never felt so good with a pair of socks! So yes, I think it pays off from time to time to make one special pair of socks. Not far from their history, these socks reinforce my imagination and confidence, precisely what characterizes Hermione’s personality and who gives the socks their name. In the end if I have to choose, that would always be the pair of socks you would wear on myfeet.

Continue Reading