Book Review: My guide for the Camino de Santiago

(scroll for the English version)

Este mês está a ser desenhado à volta da minha experiência no Caminho de Santiago de Compostela, por essa razão, o meu “Book review” não podia ser outro senão sobre o guia que levei comigo no Caminho. Há uma enorme quantidade de livros sobre o Caminho de Santiago que visam cobrir os diferentes caminhos até Santiago de Compostela, as diversas vertentes a explorar (turística, religiosa, etc) e com diferentes profundidades. Mas apenas alguns são realmente guias…
Sendo que ia fazer o Caminho Português, consegui rapidamente reduzir esta variedade para um número mais limitado. Contudo, a diversidade continuava grande e por isso eu tive de ser prática. É muito diferente ter um guia para preparar o Caminho de outro para levar no Caminho. Pode, inicialmente parecer uma distinção absurda mas a minha experiência diz-me que um detalhe tão simples, durante o Caminho, faz toda a diferença. A maior parte dos guias são guias turísticos, tal como aqueles que levamos connosco para visitar uma cidade europeia. Estes são os melhores guias para preparamos o Caminho mas nem todos são os melhores para levarmos connosco na mochila. Um guia destes acompanhado com uma boa pesquisa on-line é a combinação ideal para quem se quer preencher de informação que o motive, que o faça apreciar mais o Caminho, que o faça entender o que está prestes a fazer.
Por outro lado, durante o Caminho, o guia, tal como muitas outras coisas que levamos connosco tem de ter as seguintes características: ser leve, pequeno, ter apenas a informação base, contactos dos albergues, espaço para alguns apontamentos, mapas das etapas, gráfico de desníveis, pontos de interesse e, acima de tudo, ser escrito por outros peregrinos. Esqueçam a ideia de que vão precisar de muita informação ou de que terão muitas oportunidades de se dedicarem a ela durante o Caminho.

O guia que, a meu ver, melhor cumpre o equilíbrio entre todas estas coisas é o guia “Caminho Português de Santiago de Compostela – MY WAY”. Este é um guia claramente informal, escrito de peregrinos para peregrinos: a linguagem é terra a terra, tal como tudo no Caminho. Não há palavras caras nem devaneios excessivos porque o Caminho é um exercício de desapego no qual todos caminhamos iguais. E o excesso de palavras e floreados também conta.
Precisamente porque não se perde com coisas extraordinárias é um guia pequeno: não pesa mais de 120g e cabe perfeitamente no bolso lateral de uns calções, calças ou no compartimento mais pequeno da mochila. Como tem um orifício, pode ainda ser pendurado por um mosquetão pequeno nos elásticos e fitas da mochila o que o torna igualmente acessível. Esta questão do peso/tamanho é imprescindível visto que o peso da mochila é das questões mais desafiantes e importantes a ter em conta para o bem-estar dos peregrinos.

O guia inicia-se com uma breve história dos Caminhos de Santiago, em especial o Caminho Português, os símbolos associados às peregrinações a Santiago de Compostela, uma série de perguntas e respostas e uma lista de material para o peregrino a pé ou de bicicleta. Daqui para a frente são apresentados os três principais caminhos em Portugal que levam a Santiago de Compostela: o Caminho de Braga, o Caminho da Costa e o Caminho Central.
Cada etapa está exposta da seguinte forma: número de quilómetros; frase de inspiração; uma breve descrição da etapa com os locais onde passa, as dificuldades a ter em conta e alguns conselhos práticos; espaço para apontamentos (eu preferi usar este espaço com post-its com conselhos de outros peregrinos); pontos de interesse ao longo da etapa por localidade; contactos de albergues e locais para comer; curiosidades; gráfico de desníveis e mapa da etapa. O livro finaliza com um pequeno guia para Santiago de Compostela, os principais “rituais” da chegada e locais a visitar.

Tudo isto parece muito pouco para quem quer explorar um local mais aprofundadamente ou entender todos os segredos da história do Caminho Português. A minha opinião é a seguinte: isso é uma coisa que se faz em casa ou nos eventuais momentos em que tivermos tempo e energia para mais. No caminho as tarefas são muito resumidas. À medida que avançamos no percurso, vemos como, na verdade, o dia do peregrino se foca num número muito pequeno de tarefas que são absolutamente essenciais: caminhar, comer e dormir… e repetir isto diariamente. É isso que o torna encantador. Há espaço para mais, claro que há… se for possível! E este tempo extra em geral é “gasto” a ajudar o corpo a recuperar, a conviver com outros peregrinos (sim, mesmo para introvertidos como eu), a reflectir e a passear um pouco pelas vilas onde estamos alojados. Se por acaso quisermos ter connosco algum material que nos permita uma consulta esporádica mais aprofundada o que eu aconselho é aproveitar as ligações wi-fi nos albergues e ter algum material digital no telemóvel do qual falarei noutro post!

This month is being developed around my experience on the Camino de Santiago de Compostela, so my “Book review” could not be other than about the guide I took with me on the Camino. There is a huge amount of books about the Camino de Santiago that cover the different routes to Santiago de Compostela, the different aspects to explore (tourism, religious, etc.) and with different depths. But only a few are true guides…
Since I was going to walk the Portuguese Camino, I was able to quickly reduce this variety to a more limited number of books. However, the diversity was still big and so I had to be practical. It is very different to have one guide to prepare the Camino than a guide to take on the Camino. At first, this may seem an odd distinction but my experience tells me that such a simple detail makes all the difference while you’re walking. Most guides are tour guides, just like those we take with us to visit an European city. These are the best guides to prepare the Camino but not all are the best to take with us in our backpack. A guide like these along with a good online research is the ideal combination for those who want to have all the information that might motivate and make us appreciate intensively the Camino in a historical way.
On the other hand, the guide you need during your pilgrimage must have the following characteristics: be light, small, have only basic information, albergue contacts, space for notes, slope graphics, points of interest and, above all, it must be written by other pilgrims. Forget the idea that you will need a lot of information or that you will have many opportunities to dedicate yourself to it during the Camino.

The guide that, in my opinion, meets the balance between all these things is the guide “Portuguese Way of Santiago de Compostela – MY WAY”. It is available in several languages: Portuguese, English, French, German and Spanish. This is an informal guide, written from pilgrims to pilgrims: the language is simple, just like everything on the Camino. There are no complicated words or excessive formality because the Camino is all about detachment, a path in which we all are the equal. And the excess of words and ornamentations also counts for this!
Precisely because the guide is base on the essencial, it is a very small guide: it weighs no more than 120g and fits perfectly in the side pocket of shorts or pants, in the smallest compartment of your backpack. As it has this hole, through it can be hung by a small carabiner on the backpack, which makes it equally accessible. This issue about weight/size is imperative since the backpack’s weight is one of the most challenging and important issues to take into account for the well-being of pilgrims on the Camino.

The guide begins with a brief history of the Camino de Santiago, especially about the Portuguese Camino of course, the symbols associated with the pilgrimages to Santiago de Compostela, a section of Q&A and a list of equipment for pilgrims on foot or bicycle. Then it explores the three main routes in Portugal that lead to Santiago de Compostela: the Camino from Braga, the Camino by the Coast and the Central Camino.
Each stage is exposed as follows: number of kilometers; inspirational sentence; a brief description of the stage with the places where it passes, the challenges to be taken into account and some practical advice; space for notes (I preferred to fill this space with post-its with some advice of other pilgrims); points of interest throughout the stage, by location; contacts of albergues and places to eat; curiosities; slope graphic and a stage map. The book ends with a short guide to Santiago de Compostela, the main “rituals” for your arrival and the places to visit.

All this might seem very little for those who want to explore a place more deeply or understand all the secrets of the history of the Portuguese Camino. My opinion is this: this is something that is done at home or at the very few times when your have the time and energy for more… That is not very common and does not worths a more complicated and heavy guide. On the Camino the everyday tasks are few. As we move forward, we see how the pilgrim’s day really focuses on a very small number of tasks that are absolutely essential: walking, eating and sleeping… and repeat this every single day. That’s what makes it special! There is room for more, of course there is … if it is possible! And this extra time is usually “spent” helping the body to recover, socialize with other pilgrims (even for an introvert like me), to reflect a bit and to take a walk around the villages where you’re are staying. If you happen to want to have some extra material that allows you a more detailed (sporadic) consultation, my I advise is to take advantage of the wi-fi connections in the albergues and to have some digital material on your mobile phone. I might be explore this in another post!

You may also like

2 Comments

    1. Eu também, o melhor equilíbrio entre peso e informação. Depois há livros mais aprofundados que poderão ser utilizados!

Leave a Reply

Your email address will not be published.